17/10/2016

08:04

Por: Alberto Silva

Informações viralizam na web, Horário de verão foi feito para acabar com a saúde das pessoas, veja isso aqui..

Sim, é verdade que existe um processo de aclimatização após cerca de uma semana.

Existe vantagem em adiantar relógios em 1 hora no horário de verão? Não para a saúde, e não para a economia de consumo de energia. Então por que o horário de verão continua a ser adotado?

Artigo publicado no The New England Journal of Medicine demonstrou aumento de 5% (um aumento imenso) nos ataques cardíacos (infartos do miocárdio) na primeira semana do horário de verão. Quanto se gasta de dinheiropúblico com os tratamentos, afastamentos e aposentadorias provocadas por esse aumento?

AGRESSÃO AO RELÓGIO BIOLÓGICO
Implantar fuso horário de 1 hora em toda população é uma agressão ao relógio biológico. Os ritmos e ciclos biológicos, principalmente sono e alimentação, determinam nossa saúde e bem-estar. A maioria de nós, por força dos estudos e/ou trabalho, já é obrigada a empurrar os limites desses ritmos ao extremo. Vamos dormir mais tarde e acordamos mais cedo do que seria seguro e recomendável.

Implantar fuso horário de 1 hora em toda população é uma agressão ao relógio biológico. Os ritmos e ciclos biológicos, principalmente sono e alimentação, determinam nossa saúde e bem-estar. A maioria de nós, por força dos estudos e/ou trabalho, já é obrigada a empurrar os limites desses ritmos ao extremo. Vamos dormir mais tarde e acordamos mais cedo do que seria seguro e recomendável.

Com o horário de verão, você que normalmente acorda às 06:30 da manhã passa a acordar às 05:30. Sim, pois embora o relógio digital marque 06:30, o relógio biológico marca 05:30. É ele quem conta, quando a saúde está em pauta. O sono foi cortado em 1 hora. Justamente aquela última hora em que o sono é mais gostoso e rico em sonhos memoráveis. Acordamos mais cansados, porém o trabalho e a escola não perdoam. Aumenta o stress. Aumenta a sonolência durante o dia. Aumenta a probabilidade de acidentes causados por essa sonolência. Diminui a produtividade. Altera-se o humor. Aumenta o número de crises de enxaqueca e outras doenças pioradas por saídas da rotina.
E o que dizer de quem trabalha no campo e na lavoura? Para o organismo e os ciclos biológicos desses trabalhadores, que normalmente já acordam muito mais cedo que os habitantes das cidades, tal mudança é ainda mais perversa!

Os prejuízos são imensos.
Quanto custa tudo isso aos cofres públicos e aos nossos próprios bolsos?

Sim, é verdade que existe um processo de aclimatização após cerca de uma semana. Após esse período, a maioria de nós (mas não todos), idealmente, consegue se adaptar ao fuso horário. Mas o custo dessa uma semana pode ser imenso, em termos financeiros, para a população. Infelizmente não é possível medir precisamente esse custo, mas ele vai muito além do aumento dos ataques cardíacos. Não se consegue nem sequer comprovar algo tão objetivo quanto a se o horário de verão realmente economiza energia elétrica no país. Tudo o que se divulga no tocante à economia são estimativas, sem comprovação científica.

Existem estudos sérios, como o realizado pela Comissão de Energia da Califórnia (EUA). Esse estudo demonstrou ausência de economia de energia elétrica com o horário de verão. Os resultados foram divulgados na Scientific American. Então por que continuar a impor mais esse stress ao organismo de toda uma população de crianças, adultos e velhos?
Se existe realmente uma preocupação com gastos públicos e saúde, é importante suspender a lei que institui o horário de verão. Nosso relógio biológico controla um grande número de funções vitais do organismo. Um bom sono é crucial para uma boa saúde. E já está comprovado que o adiantamento e posterior atraso dos relógios em uma hora traz prejuízos a ela.

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

92