29/08/2016

12:35

Por: Alberto Silva

Impeachment de Dilma ou renúncia dos males o menor, ela poderá vir pegar cadeia, entenda…

Do mesmo modo, acreditar que Michel Temer terá força política e apreço popular para implementar as duríssimas medidas necessárias para trazer à superfície do lamaçal ao menos o nariz da Nação

Com sinceridade? Dilma Rousseff e sua equipe deveriam compreender que o Impeachment — e/ou Renúncia — é o menor dos males neste momento da História do Brasil. O grosso caldo virá depois, com a perda da prerrogativa de foro especial. Acreditar que a (quase ex-)”presidenta” — (neo)”amanta” da bicicleta — teria alguma aspiração de disputar um novo mandato eletivo pelo Rio Grande do Sul é um atentado aos fatos e um encômio ao estilo de vida no espaço sideral, ambos consagrados por Sua “Majestada” nos últimos seis anos.

Igual alienação é esperar que, nesta semana, o Senado Federal fará algo que preste pelo Brasil… pela República… pela Democracia. O Congresso Nacional, por obra de uma engenharia eleitoral esquizoide, trata-se de lugar onde sempre é meia-noite e todos os gatos são pardos. Quando presidida por um ser como o ministro Ricardo Lewandowski, a suposta “Casa do Povo” funciona sob Horário de Verão: é sempre meia-noite… e é sempre ontem!

Do mesmo modo, acreditar que Michel Temer terá força política e apreço popular para implementar as duríssimas medidas necessárias para trazer à superfície do lamaçal ao menos o nariz da Nação, é crença equivalente a aguardar Papai Noel distribuir Ovos de Páscoa enquanto o Coelho enfiou-se na toca e está travando batalhas noutro “País das Maravilhas”.

Igual alienação é esperar que, nesta semana, o Senado Federal fará algo que preste pelo Brasil... pela República... pela Democracia. O Congresso Nacional, por obra de uma engenharia eleitoral esquizoide, trata-se de lugar onde sempre é meia-noite e todos os gatos são pardos.

A situação do Brasil é de tal ordem complicada que, vejam vocês, todos aqueles que gritam “Fora Temer” e “Fica Dilma” acabam engrossando o coro do “Fica Temer”. Afinal, se ela não renunciar ou conseguir escapar do#impeachment — hipótese bastante improvável —, ele continuará a ser, constitucionalmente, seu vice! É ou não é uma loucura?

Daí, olho para as caras (des)lavadas do Renan, do Aécio, da Vanessa, do Lindbergh, do Caiado, do Cristovam e da Gleisi “Kelly” e penso, cá com meus botões: o Brasil, na verdade, é um país para amadores. No sentido de nação para quem “ama a dor”.

Gente séria, por aqui, enlouquece… ou desiste.

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

105