05/10/2016

10:58

Por: Alberto Silva

Google perdoa dívida de menino que gastou 100 mil euros por engano

"Pensava que estava ganhando dinheiro, e não o contrário""tudo foi um erro o jovem fez isso de maneira inconsciente.

O Google estimou nesta quarta-feira que um menino espanhol de 12 anos cometeu um erro de forma inconsciente e, por isso, perdoou uma dívida de 100.000 euros que ele contraiu ao contratar publicidade on-line buscando a fama de sua banda de música.

José Javier, estudante de Torrevieja, província de Alicante (leste), criou em agosto uma conta em uma ferramenta do Google chamada AdWords, com a ideia de ganhar dinheiro com vídeos musicais no YouTube, mas o que realmente fez foi comprar espaços publicitários.

Uma fonte do Google indicou à AFP que a empresa entende que “tudo foi um erro e que (o jovem) fez isso de maneira inconsciente, um menino de doze anos não quer gastar 100.000 euros (112.000 dólares)”.

"Pensava que estava ganhando dinheiro, e não o contrário (...) e queria comprar instrumentos" para a banda na qual toca trompete, Los Salerosos, explicou ao jornal El País a mãe de José Javier, Inma Quesada.

O Google, o gigante da internet dono do YouTube, anunciou na véspera que não havia “recebido dinheiro por parte deste usuário” e que cancelava o “saldo pendente do AdWords”, em um comunicado no qual não explicava a razão.

A ferramenta AdWords permite desenvolver uma campanha na internet ao inserir publicidade em conteúdos de páginas como YouTube, mas o usuário precisa ser maior de idade para criar uma conta.

“Pensava que estava ganhando dinheiro, e não o contrário (…) e queria comprar instrumentos” para a banda na qual toca trompete, Los Salerosos, explicou ao jornal El País a mãe de José Javier, Inma Quesada.

O jovem associou o AdWords a um conta bancária em seu nome que sua família havia aberto para que ele poupasse dinheiro, o que permitiu alertar os pais quando o banco telefonou para informar sobre as cobranças.

A fonte do Google indicou não ter conhecimento de que tenha ocorrido antes um caso como este na Espanha.

(Via Agencia)

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

91