18/10/2016

07:59

Por: Alberto Silva

Fluminense 1×2 São Paulo:alegria inesperada

Em um jogo de muitos erros dos dois lados, o São Paulo soube aproveitar melhor e saiu de campo vitorioso, o que dá um certo fôlego ao time e ao técnico Ricardo Gomes (que ainda pode cair, não tenho nada contra isso, não).

Não foi brilhante, não foi fácil, mas foi na hora certa. Com a água no pescoço, o São Paulo se via obrigado a buscar pelo menos um ponto fora de casa, pra se afastar da zona de rebaixamento, contra um time que luta por Libertadores. Vale lembrar que o Tricolor não vencia fora de casa desde agosto, quando bateu o Santa Cruz. E saiu melhor que a encomenda.

Em um jogo de muitos erros dos dois lados, o São Paulo soube aproveitar melhor e saiu de campo vitorioso, o que dá um certo fôlego ao time e ao técnico Ricardo Gomes (que ainda pode cair, não tenho nada contra isso, não).

Apostando no contra-ataque, o time entrou disposto a marcar forte para aproveitar alguma bobeira do adversário. Porém, foi numa bobeira do São Paulo que saiu o primeiro do jogo. O tal do Wellington fez um carnaval na nossa zaga pra sofrer o pênalti e colocar mais um fardo na vida do são-paulino.

Apostando no contra-ataque, o time entrou disposto a marcar forte para aproveitar alguma bobeira do adversário. Porém, foi numa bobeira do São Paulo que saiu o primeiro do jogo. O tal do Wellington fez um carnaval na nossa zaga pra sofrer o pênalti e colocar mais um fardo na vida do são-paulino.

Pronto. A partir daí a maioria de nós pensou em “mais um revés fora de casa” e provavelmente já estavamos escolhendo quem seria o bode expiatório da vez. Mas aí veio o segundo tempo e a pegada foi outra. David Neres, como tem que ser, não sentiu a pressão e dominou a peleja. Foi o motor do São Paulo, que dominou o segundo tempo e enfim fez por merecer a vitória.

É isso que queremos ver. Esse São Paulo, o do segundo tempo, que se impõe, que busca o resultado e não espera o adversário assustado. Com essa pegada, venceremos a luta contra o rebaixamento.

Denis: 6
Evitou que o Fluminense ampliasse o marcador quando ainda ganhava. Sem culpa no gol sofrido. Ainda merece ir embora.

Buffarini: 4
Amo o Buffa, mas sofre com o habilidoso Wellington. Pouco acionado no ataque.

Maicon: 4
Partida muito abaixo do esperado pro nosso God of Zaga. Tão perdido no gol dos caras que achei que era o Lucão.

Rodrigo Caio: 7
Gol da vitória. Isso já vale uma nota maior numa hora dessas. Obrigado, amigo.

Mena: 4
Bastante acionado no segundo tempo. E esse é o problema.

João Schmidt: 5
Nem bem, nem mal, nem nada (mas precisa continuar jogando).

Wesley: 4
Ganhamos, boa, mas ainda desejo que o Wesley vá pra puta que pariu.

Thiago Mendes: 7
Eu não sei se xingo pelo gol perdido embaixo da trave ou se abraço pelo gol feito. Fica com um 7 pela importância do gol. Ainda meteu uma bola no travessão. Precisa correr assim todo jogo seu puto.

Robson: 5
Nhé.

Cueva: 7
Incansável. Já já vai ter uma hérnia de disco por carregar esse time nas costas todo jogo.

Chávez: 2
Único destaque no jogo: ter dado um soco no banco de reservas quando foi substituído. Mais uma péssima partida.

Ricardo Gomes: 6
Hoje eu vou poupar. Mas SÓ HOJE. Seu merda.

Kelvin: 5
Cisca, cisca, cisca, cisca, cisca, cisca, cisca, cisca, cisca, cisca, cisca, cisca, cisca […]. E repita a operação mil vezes.

David Neres: 8
Para mim, a melhor notícia da noite depois do resultado do jogo. Primeiro jogo como profissional e já mostrou muita personalidade, chamando a responsa pra si e criando boas chances, mesmo sendo um garoto. Merece mais oportunidades no time.

Pedro: S/N
Não apareceu tanto pro jogo. Mas deu um passe pra o chute no travessão do Thiago Mendes, e isso já foi mais do que o Chávez fez no jogo todo.

Notas:
– Terminamos o jogo com 4 jogadores formados em Cotia (sendo um deles o melhor em campo), e ganhamos o jogo. Algo a ser pensado pela diretoria do clube.
– A ausência do Carlinhos é REFORÇO. Entenda isso, Ricardo Gomes (pelo bem do seu emprego). Outra ausência que não foi sentida foi a do Hudson, que gosto muito mas hoje o time melhorou.
– Rodrigo Caio dedicou o gol ao Ricardo Gomes. Não gosto do treinador, mas união nessas horas é algo muito importante. Vamo, porra.
– E pra não perder o costume (enquanto não sairmos dessa situação): vai todo mundo tomar no cu. Do presidente ao ponta-esquerda.
– Vamo São Paulo, caralho.

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

92