27/12/2015

20:03

Por: Alberto Silva

Enquanto saúde no Rio entra em Colapso, cidade maravilhosa faz festa para gringo pagando R$ 700 mil para Seu Jorge tocar no evento. Os Titãs cobraram cachê de R$ 430 mil e Maria Rita, R$ 210 mil.

A Prefeitura do Rio de Janeiro contratou o cantor Seu Jorge para ser uma das atrações do Réveillon de Copacabana. Além dele, a festa vai contar com as presenças de Maria Rita e Titãs

Saúde um colapso no Rio de Janeiro e mesmo assim prefeitura e estado faz festa para gringo ver,  pagando R$ 700 mil para Seu Jorge tocar no evento. Os Titãs cobraram cachê de R$ 430 mil e Maria Rita, R$ 210 mil.

Conforme divulgado no Diário Oficial, a Riotur vai pagar R$ 700 mil para Seu Jorge tocar no evento. Os Titãs cobraram cachê de R$ 430 mil e Maria Rita, R$ 210 mil. Nesse tipo de data, o cachê dos músicos costuma ser dobrado, o que justificaria os altos valores.

Porém, a diferença entre os cachês é grande. A distorção faz lembrar o Réveillon de 1995, quando artistas da MPB foram convidados para realizar uma apresentação em homenagem a Tom Jobim. À época, Paulinho da Viola rompeu relações com Caetano veloso ao descobrir que iria receber apenas R$ 35 mil. Gilberto Gil, Gal Costa, Chico Buarque, Milton Nascimento e Caetano receberam R$ 128 mil cada.

Um dos fatores que pode ter elevado o valor do cachê de Seu Jorge é ele morar nos Estados Unidos, o que encarece a logística do show. No ano passado, o cachê pago pela prefeitura do Rio para Stevie Wonder fazer o show da virada também causou polêmica. O músico recebeu R$ 7 milhões. Um ano antes, ele havia tocado na mesma data em um cassino de Las Vegas por R$ 2 milhões.

Só para nível de comparação, o cachê de Seu Jorge na festa é o mesmo cobrado por músicos como Bob Dylan, Pearl Jam, Drake, Bruno Mars, Deadmau5, Nicki Minaj e o DJ Tiesto.

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

99