04/01/2016

00:06

Por: Alberto Silva

‘Clima esquenta’ Após ataque à embaixada saudita relações diplomáticas são cortadas

A Arábia Saudita anunciou neste domingo o rompimento das relações diplomáticas com o Irã, um dia depois da execução de 47 pessoas acusadas de terrorismo, incluindo o clérigo xiita opositor Nimr al-Nimr.

Execução de clérigo xiita na Arábia Saudita desencadeia onda de protestos no Irã. Após ataque à embaixada saudita em Teerã, Riad corta relações e dá 48 horas para que diplomatas iranianos deixem reino sunita

O ministro de Relações Exteriores saudita, Adel al-Jubeir, disse em entrevista coletiva que todos os diplomatas iranianos têm 48 horas para deixar o país.

A ruptura se dá menos de 24 horas após o aiatolá iraniano Ali Khamenei afirmar na TV que os sauditas sofreriam a “vingança divina” e manifestantes iranianos atacarem a embaixada do reino sunita em Teerã. “O injusto derramamento de sangue deste mártir oprimido sem dúvida terá consequência, e a vingança divina cairá sobre os políticos sauditas”, discursou Khamenei na TV estatal iraniana, ao condenar a execução de Al-Nimr. No mesmo dia, manifestantes foram até a embaixada saudita na capital iraniana para protestar, e alguns chegaram a invadi-la. Alvo de coquetéis molotov, o prédio começou a pegar fogo, contido mais tarde pelos bombeiros.

Ao anunciar a suspensão das relações diplomáticas, Al-Jubeir afirmou que Riad não permitiria que Teerã “minasse a segurança do reino sunita”.

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

93