18/04/2016

22:50

Por: Alberto Silva

Bolsonaro ‘homenageia’ seu voto ao torturador de Dilma

Se esse fato não fosse o bastante, Ustra também foi o torturador da presidente Dilma Rousseff na época da ditadura.

Depois de centenas de votos pela família, pelo Bruno, pelos corretores de seguro, pela República de Curitiba, pela família quadrangular, pelos “heróis” de 64; foi a vez do fascista Jair Bolsonaro (PSC-RJ) ir ao microfone e declarar o seu voto.

Em seu discurso, Bolsonaro afirmou que as pessoas contra o impeachment ‘perderam em 64 e vão perder em 2016’. Deixando uma clara e óbvia referência ao golpe de 64 e afirmando que quem apoia a queda da Dilma é também a favor da ditadura militar.

Além da audácia, para dizer o mínimo, feito no discurso dito acima, Bolsonaro também fez uma ‘homenagem’ em seu voto. Ele citou o nome completo do já morto, ainda bem, Coronel Ustra, chefe da tortura na ditadura militar.

Além da audácia, para dizer o mínimo, feito no discurso dito acima, Bolsonaro também fez uma ‘homenagem’ em seu voto

Se esse fato não fosse o bastante, Ustra também foi o torturador da presidente Dilma Rousseff na época da ditadura. Uma das atrocidades que ele fazia era enfiar ratos dentro das vaginas das mulheres torturadas.

O objetivo de Bolsonaro é tentar fragilizar Dilma com esse discurso, mas acabou mostrando de uma vez por todas o quão covarde e babaca ele realmente é.

Compartilhe:

Comentários

* O Pensa Brasil não se responsabiliza pelo conteúdo dos comentários e se reserva o direito de eliminar, sem aviso prévio ao usuário, aqueles em desacordo com as normas do site ou com as leis brasileiras.

Mais Lidas

93